COXAnautas - Coritiba Eternamente

5

08/12, 08h38 | Arquibancada | Sergio Brandão

Atletiba de uma só bandeira

(foto: Maringas Maciel)

Como há muitos anos, o Couto voltou a receber um público digno de seu tamanho. Desta vez não para ver a bola rolar, em mais uma partida de futebol, mas para se solidarizar com uma cidade, uma família, dividir uma dor que deixou o estádio pela primeira vez pequeno, tamanha a emoção ali sentida. Não coube tudo isso dentro daquele espaço.

Mais de 30 mil pessoas, este foi o público estimado, mas o que importa foi o sentimento, a emoção que esteve ali, naquelas poucas horas, aquilo sim foi maior que tudo. Não lembro de ter visto nada parecido, proporcionado pelo futebol, onde três torcidas rivais estivessem juntas, dividindo o mesmo espaço, vestindo cada um a camisa de seu clube, civilizadamente, com um único sentimento.

Coritiba, Atlético e Paraná precisaram de uma tragédia para viverem juntos um momento que pode ser o começo de um novo tempo no futebol. Já era mesmo chegada a hora. A opção da troca de momentos como este, por quebradeiras em terminais e pancadaria é o que precisamos em tempos de cólera.

O exemplo dado por vocês, na noite de ontem, fica com o tamanho da dor deixada pela razão do encontro, e cada um deixou ali o seu melhor.

Não seria um exagero pedir o mesmo no próximo atletiba, por exemplo. Eu não iria tão longe, e pedir que se sentem na mesma arquibancada, cada um vestindo a camisa de seu clube, mas que possam sair do estádio e dividir as mesmas ruas, o mesmo ônibus de volta pra casa, tranquilos, na paz, sem quebradeira, como já foi um dia.

Em nome desta tragédia, onde cada um pagou o seu preço, para alguns um preço irreparável, talvez tenha servido como termômetro para nos mostrar que há tempos o futebol já estava no seu limite de agonia.

A lição fica não só para torcedores, mas para dirigentes e todos os profissionais que vivem dele, do futebol.

Chega! Vamos apagar tudo e começar de novo! Ainda há tempo, ainda cabe uma convivência pacífica, civilizada que nos dê prazer e diversão, com menos ostentação e mais amor, respeito e civilidade.

Debate

  • "A chama alta da comoção atingiu a todos. O desafio agora é manter a brasa das mudanças ardendo.

    Precisamos aprender com tudo isso. Não podemos deixar tudo se esfriar com o tempo.

    Excelente coluna Sérgio. como sempre.

    Linda homenagem no Couto.

    #ForçaChape"

    Gerson Lima | 09/12, 00h59

    • "Precisamos acreditar nisso, meu caro Gerson."

      Sérgio Brandão | 09/12, 07h44 | Móvel

  • "Ótima coluna. Exemplo de civilidade. Nem tudo está perdido. Parabéns a todos."

    Tadeu A. | 08/12, 12h41

  • "Adequada esta coluna, caro Brandão. Juntos, todos podem progredir. No mais, bela homenagem esta ocorrida no velho e belíssimo Couto. Convenhamos, a beleza do Couto é máxima."

    João B. | 08/12, 10h56

  • "Infelizmente... no próximo atletiba os mesmos problemas de vandalismo, quebra quebra de ônibus e terminais, brigas entre as torcidas voltarão..."

    Mauricio I. | 08/12, 10h52 | Móvel

    • "Mais otimismo, Maurício."

      Sérgio Brandão | 08/12, 12h37 | Móvel

  • "Legal, Sergio. Bela homenagem, muito merecida. Bom ver o Couto um pouco mais cheio do que o de costume. Precisamos de novos tempos mesmo! Tomara que possamos aproveitar o momento! Estádios cheios e rivalidade, mas sem essa violência criminosa que nos acostumamos dentro e fora dos estádios em Curitiba. No RS, o clássico tem espaços reservados nos estádios pra torcida mista - e olha que lá os caras brigam até quando não é dia de grenal. Seria um bom caminho pra uma nova mentalidade/fase em nosso futebol."

    Thiago G. | 08/12, 09h49

    • "Oremos pra isso, Thiago."

      Sérgio Brandão | 08/12, 12h38 | Móvel

  • Ver todos os comentários (10)

Comente também!

Apenas torcedores cadastrados e verificados podem comentar. faça seu login aqui.

Equipe COXAnautas

O Blog

Sou jornalista há mais de 30 anos. A profissão e a condição de torcedor, me fizeram aprender a policiar posições quando escrevo para tv ou rádio. Isso me desenvolveu muito o lado crítico. Costumo dizer que futebol é uma coisa e esporte é outra, bem diferente. Basicamente porque o futebol se transformou num produto da mídia e envolve muito dinheiro. O esporte amador, não. Sem dinheiro ele apenas sobrevive. É o caminho que o vôlei começou a tomar, por exemplo, mas ainda passa longe de ser o sucesso que é o futebol. Gosto de escrever sobre os dois: esporte e futebol. Jornalismo é minha profissão, o Coritiba minha paixão. Será um prazer estar aqui com vocês falando sobre tudo isso.

O Autor

O Coritiba está na minha alma, muito mais até que no coração. Aprendi a gostar de futebol assim, de alma e também de coração. Sou do tempo do Belfort Duarte, hoje Couto Pereira. Isso foi no início dos anos 60. De lá nunca mais saí. Na década de 70, o Coritiba me conquista definitivamente, quando montou times inesquecíveis, várias vezes campeão. Período que passei a frequentar programas de rádio para tentar ficar o mais próximo que podia do futebol. Foi a época de Dirceu Graeser, no famoso"Viva o Futebol", na Rádio Clube, depois Rádio Cruzeiro. Foi o meu começo nos meios de comunicação. Vivo do jornalismo há mais de 30 anos, dedicados ao Rádio e principalmente televisão. Hoje sou muito mais da arquibancada. Sou mais torcedor e menos jornalista, principalmente quando o assunto é Coritiba.

Bolão

Melhores Sócios COXAnautas

21º Jackson M. Jeranoski 269 pts.
30º Disney U. 254 pts.
40º J. Mario 245 pts.
51º Rui Valente 232 pts.
200º VALCIR C. 21 pts.
222º Leopoldo J. 13 pts.
262º Antenor A. 7 pts.

Ver classificação completa

COXAnautas - Coritiba Eternamente

1996-2017 © COXAnautas - Portal da torcida do Coritiba
Desenvolvido por Race Internet