COXAnautas - Coritiba Eternamente

4

22/11, 15h50 | Bola de Couro | Felipe Rauen

É tetra! Nada a comemorar.

Pelo quarto ano consecutivo o Coritiba tem que se conformar em apenas se manter na primeira divisão do futebol brasileiro. Para alguns, uma conquista. Para a maioria, apenas um alívio.

Em 2013 terminamos o ano na 11ª classificação, depois de ter tido um começo arrasador no campeonato parecendo que finalmente alcançaríamos voos mais altos. Em 2014 ficamos no 14º lugar, passando grande parte do campeonato entrando e saindo da zona do rebaixamento. Em 2015 finalizamos o ano em 15º, mais uma vez durante quase todo o certame em idas e vindas da região dos rebaixados. E neste ano, finda a penúltima rodada, estamos em 14º lugar, já sem risco matemático de rebaixamento e com possibilidade de subir ou descer duas posições dependendo dos próximos resultados.

Em junho último, em tom realista, mas também conformista, o vice-presidente Macedo afirmou que o máximo que poderíamos almejar neste ano seria evitar o rebaixamento. Acertou, contrariando a previsão deslumbrada do presidente que em maio afirmara que neste ano o Coritiba lutaria por uma vaga na Copa Libertadores.

É lamentável ver erros sendo cometidos ano a ano, por direções que não sonham alto e quando o fazem é sem apoio nos fatos e com investimentos equivocados. Estamos – eu e quase todos os coritibanos – cansados de migalhas e de ter esperanças vãs

Até 2013 tivemos sete títulos estaduais no milênio, conquistamos um recorde mundial de vitórias consecutivas e deixamos escapar por muito pouco dois títulos da Copa do Brasil. Mas desde aquele ano, nem campeonatos estaduais alcançamos, em um deles não chegando nem nas finais, no outro sofrendo duas derrotas vexatórias para um espartano clube do interior, e no último outras duas derrotas justas para o rival.

E agora, para onde vamos? Seremos penta não rebaixados no campeonato brasileiro do ano que vem, ou efetivamente poderemos sonhar com algo mais? E recuperaremos a hegemonia estadual? Poderia afirmar que só o tempo dirá. Mas tempo, meus amigos, é o que decorreu em vão nos últimos anos, dois deles no final de uma gestão e outros dois na atual. Quem poderá nos dar a resposta serão os dirigentes, dos quais se espera que finalmente resgatem o nosso orgulho coxa-branca, quanto mais não fosse para pelo menos terminar a gestão com a cabeça erguida e nos braços da torcida. Esta, a torcida, tem dado a sua colaboração através de um grande número de abnegados que não se afastam quando as coisas não vão bem. A direção não pode exigir mais da torcida, se pouco dá em troca. Paciência e esperança são as virtudes que mais exercemos nos últimos anos. Já tivemos mais de 30.000 associados e hoje talvez tenhamos pouco mais de 10.000. Quem quiser entender estes números confira a campanha do Coritiba em campo em um e outro período.

Enfim, mais um ano em que ao final não há sentimento de nenhum júbilo. Ainda nada vi sobre planejamento para o próximo anos, mas vou continuar a exercitar as virtudes da paciência e da esperança, torcendo para que logo as possa substituir pelo pecado do orgulho. Será?

Debate

  • "Depois da era Evangelino (a de sucesso), nada mais, só um belisquinho ali ou lá e de resto fim de feira até hoje. Sem essa de nos contentarmos com migalhas tipo permanecer na série A do brasileiro.
    A questão atual e maior no CFC é uma só: incompetência diretiva.
    SAV"

    J. Mario | 23/11, 17h14

  • "Sempre há o que comemorar, afinal sou Coxa branca de coração, minha paixão não tem a ver com títulos. Nosso time tem história, tem lindas cores e está entre os melhores do país. Fizemos grandes jogos esse ano, jogamos e fizemos bom papel na Sulamericana. Nosso elenco não é dos piores, era mal escalado e mal treinado, a vinda do Carpegiani comprovou isso, tivemos um rendimento de time do alto da tabela. Ganhamos bem de Santos, Grêmio, Galo... espero que a Diretoria convença o Carpegiani a ficar e montar o time de 2017 desde o início, tenho confiança e principalmente grande torcida que poderemos melhorar no próximo ano. Mas todo mundo precisa entender que o campeonato brasileiro é considerado o mais difícil do mundo, de 20 times caem 4, todo ano cai algum grande time, algum campeão... portanto é difícil permanecer, mas permanecendo é que se pode sonhar com algo maior. Saudações sempre alviverdes!"

    Massimo T. | 23/11, 11h58

    • "Isso mesmo Massimo, também deve se levar em conta que o jeito que são divididas as cotas de TV, tem que se fazer milagre para construir um bom elenco, competitivo para disputar 4 competições ao ano. Acredito que Chapecoense e Ponte Preta tenham uma direção mais homogênea por isso são mais constantes. Nós temos que nos contentar sim, fizemos bonito com o que temos e que sirva de lição para os próximos anos."

      Sandro N. | 23/11, 14h28

  • "Tem de pagar o que deve e mandar ainda mais uns respeitáveis 'dindins' por fora (mala branca), caso contrário ... hehe"

    J. Mario | 23/11, 11h43

  • "É o mínimo que o Inter deveria fazer. Ser justo no caso Ceará. De resto, menos mal o fato de não precisarmos mais brigar pra não cair. Fim de feira e esperamos 2 vitórias pra fechar o ano..."

    Mauricio D. | 23/11, 08h53

  • "Segundo o Blog da Nadja, o Coritiba entrou com ação contra o Inter no caso Ceará, e parece que o Inter procurou o Coxa num acordo de 1.2 milhões (incluindo as custas do processo).

    Como diriam, quem tem c* tem medo.

    Agora que bateu o desespero, correm atrás."

    Willian C. | 22/11, 20h15

  • Ver todos os comentários (23)

Comente também!

Apenas torcedores cadastrados e verificados podem comentar. faça seu login aqui.

Equipe COXAnautas

O Blog

O nome “Bola de Couro” serve para revelar a geração do autor, que acompanha o Coritiba desde o tempo em que elas eram efetivamente de couro natural, e não sintéticas como hoje. Além de estar atento ao futebol moderno, especialmente graças à tecnologia que tornou o mundo uma aldeia global, o blog de vez em quando trará algumas reminiscências das tantas glórias de que o Coritiba é coberto e que estão mais na memória de cada um do que em imagens físicas, atendendo também a um nicho da “velha-guarda” de Coxanautas que se manifestou desde a primeira coluna do autor. Mas todos, de qualquer geração, serão bem-vindos a colaborar e criticar em espaço que se pretende democrático.

O Autor

Benedito Felipe Rauen Filho, conhecido como Felipe Rauen, é coxa-branca de terceira geração, pois tanto seu avô como seu pai também o eram. Em parte da infância e da juventude morou na rua Maria Clara, a cem metros do estádio do Coritiba, do qual desde casa sentia o "cheiro". Transferiu residência para o Rio Grande do Sul em 1976, onde iniciou carreira como Juiz de Direito, hoje aposentado. Está aculturado naquele Estado em vários aspectos, mas jamais no futebol, pois não adotou time local e torce somente para o Coritiba. É conhecido em todos os círculos que frequenta em terras gaúchas como coxa-branca, conseguindo que inúmeros amigos gremistas e colorados tenham o Coritiba como segundo time ou pelo menos mostrem por ele simpatia. Desde fevereiro de 2.009 é Cônsul do Coritiba em Porto Alegre. Cardiopata, dá trabalho regular ao cardiologista em razão das emoções vividas com e pelo Coritiba, mas tem certeza de que o coração coxa-branca se manterá forte ainda muito tempo para ver o clube alcançar mais e mais glórias.

Bolão

Melhores Sócios COXAnautas

21º Jackson M. Jeranoski 269 pts.
30º Disney U. 254 pts.
40º J. Mario 245 pts.
51º Rui Valente 232 pts.
200º VALCIR C. 21 pts.
222º Leopoldo J. 13 pts.
262º Antenor A. 7 pts.

Ver classificação completa

COXAnautas - Coritiba Eternamente

1996-2017 © COXAnautas - Portal da torcida do Coritiba
Desenvolvido por Race Internet