COXAnautas - Coritiba Eternamente

8

08/12, 13h16 | Estrela Dourada | Marcus Popini

Green Heaven

Eu estava tentando evitar escrever algo sobre essa tragédia da Chapecoense, pois penso que não existem palavras que consigam diminuir a dor dos que, diferentemente de nós, foram diretamente atingidos por ela.

Imagino inexistir alguém que não tenha sido tomado por um sentimento de tristeza ao pensar naqueles que se foram e no momento de suas vidas em que se foram. Sei, também, que a entidade, a empresa, o clube de futebol Chapecoense vai seguir em frente e há de se reerguer. Meu maior desejo, no entanto, é que a imensa solidariedade demonstrada ao clube seja estendida (e de forma duradoura!) também às famílias dos jogadores (e dirigentes, e jornalistas, e tripulantes) que nos deixaram.

Ontem, ao acompanhar a homenagem organizada pela diretoria Coxa Branca à Chapecoense e às vítimas desse infortúnio, me flagrei remoendo as lembranças das vezes em que sempre coloquei o meu amor ao Coritiba acima da importância dada àqueles que vestem a sua camisa. Em minha rotina egoísta, transformo em heróis aqueles jogadores que fazem gols decisivos, que defendem bolas difíceis, que me fazem comemorar de alguma forma, enfim. Pelo mesmo motivo, ou seja, guiado apenas pelos MEUS sentimentos, me permito execrar quem, em minha avaliação subjetiva, “julgo” como culpados pelas derrotas ou frustrações que o Coritiba sofre e nos impõe. Insisto nesses devaneios e chego à fria conclusão de que, passada toda essa consternação geral, a preocupação que eu demonstrei no parágrafo acima voltará a ser uma contradição em relação ao sentimento que eu expressei neste. Pois é assim o mundo do futebol, no fim de tudo: uma tolice que, infelizmente, prescinde de um sentido maior, ou verdadeiro.

Ontem, também, ao ver as imagens de coxas e atleticanos sentados lado a lado, em paz (sem confrontos ou agressões), ao pensar no que os unia naquele momento, ao imaginar onde devem estar aqueles que se foram e ao ver os sinalizadores novamente acesos dentro do Couto Pereira, pensei: Green Heaven...

A tragédia, além de unir, deveria ensinar.

Debate

  • "Parabéns pela análise, Popini. Nasci em Xaxim, cidade vizinha à Chapecó. meus pais, irmãos, tios e primos moram lá e viveram a tragédia de perto e conheciam alguns dos que se foram. Momento terrível que só é amenizado com o carinho, solidariedade e a memória do povo é da imprensa. E belo comentário do Alvyr. Moro em Curitiba há trinta anos e já vi Atletibas inesquecíveis com grandes festas das torcidas. Infelizmente isso acabou com a inauguração da Arena da Baixada nocom declarações e atitudes infelizes dos dois presidentes da época, que acirraram a violência entre as torcidas."

    Dirk S. | 11/12, 16h06 | Móvel

  • "Reflexão interessante."

    João B. | 10/12, 14h01

  • "Belas palavras Popini, vale muito essa reflexão."

    Mauricio S. | 09/12, 17h34 | Móvel

  • "Doravante devemos substituir o execrável, o famigerado, o pé frio green hell pelo GREEN HEAVEN.
    Toda vez que foi feito o tal de green hell fomos humilhados pelos adversários, anotem isto.
    Só de títulos, que me lembro, foram 04 perdidos, 02 copas do Brasil e 02 estaduais.
    Devemos impedir que tal se repita. Não deixemos os incautos agir por nós."

    pedro m. | 09/12, 12h33

  • "Popini, muito boa as palavras. Jamais queremos passar o que essas familias estão passando. Mas que algum tipo de legado bom eles deram ao mundo com tudo isso. Aprendamos e mudemos sim. Nunca é tarde enquanto se está vivo."

    Gerson Lima | 09/12, 00h55

  • Ver todos os comentários (9)

Comente também!

Apenas torcedores cadastrados e verificados podem comentar. faça seu login aqui.

Equipe COXAnautas

O Blog

Um blog é, em essência, um tipo de mídia onde pessoas expressam suas opiniões. Este blog, em particular, não tem outra intenção que não seja discutir as coisas relacionadas ao Coritiba, sem existir qualquer pretensão de que os posts aqui colocados sejam a visão única e definitiva das coisas. Trata-se, pois, de um espaço para debates, onde as opiniões colocadas de forma respeitosa sempre serão levadas em consideração.

O Autor

Marcus Vinicius Fonseca Popini foi ao Estádio Belfort Duarte, hoje major Antonio Couto Pereira, pela primeira vez, em 1975, aos nove anos de idade. Coxa Branca de nascimento, pai de duas filhas, geólogo pela UFPR com mestrado em Geofísica pela UFBA, participante do site COXAnautas desde 2006, Popini hoje corre o mundo por conta de sua profissão, sempre levando as cores do Coritiba por onde passa.

Bolão

Melhores Sócios COXAnautas

21º Jackson M. Jeranoski 269 pts.
30º Disney U. 254 pts.
40º J. Mario 245 pts.
51º Rui Valente 232 pts.
200º VALCIR C. 21 pts.
222º Leopoldo J. 13 pts.
262º Antenor A. 7 pts.

Ver classificação completa

COXAnautas - Coritiba Eternamente

1996-2017 © COXAnautas - Portal da torcida do Coritiba
Desenvolvido por Race Internet